Vale a pena fundar uma empresa de IA generativa?

IA_generativa

Navegue pelo mundo da inteligência artificial generativa. Descubra se você tem o que é preciso para criar uma empresa competitiva nesse espaço em constante evolução.

O Despertar do Empreendedorismo na IA Generativa

No mundo empresarial atual, vemos um aumento significativo no número de empreendedores ponderando a viabilidade de lançar empresas que utilizam a mais recente tecnologia de Inteligência Artificial (IA) generativa. Entretanto, enfrentam a dúvida: será que têm a capacidade de competir em modelos fundamentais cada vez mais comoditizados? Ou será que devem optar por aplicações de alto nível que tirem proveito desses modelos?

A IA generativa é um campo empolgante, com potencial ilimitado. Um exemplo de sucesso é a empresa de software Luka, que criou um amigo “IA” chamado Replika. O sucesso de sua tecnologia foi tanto que gerou demanda para soluções empresariais e até mesmo um aplicativo de namoro com personagens de IA.

Modelo Fundamental ou Aplicações?

Neste cenário, as grandes empresas de tecnologia estão disponibilizando suas versões mais generalizáveis de modelos fundamentais, enquanto outras, como Eluether.ai e Stability AI, oferecem versões de código aberto a um custo menor. Assim, os modelos fundamentais estão se tornando comoditizados, e poucas startups conseguem competir neste espaço.

Os modelos fundamentais podem parecer atrativos, uma vez que possuem muitas aplicações e, portanto, oportunidades de crescimento. Mas, no mercado comoditizado, as empresas que sobrevivem são aquelas que oferecem serviços desagregados a preços baixos ou que entregam capacidades cada vez mais aprimoradas. Portanto, em vez de competir em modelos fundamentais comoditizados, a maioria das startups deve se diferenciar oferecendo aplicações de software de “camada superior” que aproveitem os modelos fundamentais de outras empresas.

Por exemplo, a Jasper AI, criadora de conteúdo de marketing, cresceu até o status de unicórnio, em grande parte, aproveitando os modelos fundamentais do OpenAI. A empresa usa o OpenAI para ajudar os clientes a gerar conteúdo para blogs, postagens em redes sociais, cópia de sites e muito mais.

Do Scripted ao Generative

Seu negócio precisa se posicionar em algum lugar entre uma solução puramente roteirizada e uma puramente generativa. Soluções roteirizadas são mais seguras e restritas, mas também menos criativas. Já as soluções generativas são mais arriscadas e não restritas, mas também mais criativas e semelhantes aos humanos.

Existe um equilíbrio delicado entre a proteção da privacidade de seus conjuntos de dados e a dependência dos grandes players de tecnologia para modelos fundamentais. A decisão de criar seus próprios modelos fundamentais pode ser tentadora, mas é improvável que seja um bom uso dos recursos da startup, dado os desafios mencionados acima.

Conclusão: Uma Decisão Equilibrada

Ao decidir se uma empresa de IA generativa é para você, você precisa avaliar se tem o que é preciso para competir em modelos fundamentais cada vez mais comoditizados ou se deve se diferenciar com uma aplicação que aproveita esses modelos.

Além disso, deve considerar que tipo de aplicação deseja oferecer no espectro entre uma solução altamente roteirizada e uma altamente generativa, considerando os diferentes prós e contras que acompanham cada uma.

O empreendedorismo no campo da IA generativa é uma jornada empolgante, mas repleta de desafios. É essencial fazer perguntas certas e fazer escolhas informadas sobre que tipo de empresa você deseja ser, para que possa escalar rapidamente e manter a defensabilidade a longo prazo.

Porque o ChatGPT vai substituir comediantes de Stand Up Comedy

Palavras-chave

IA generativa, empreendedorismo, modelo fundamental, aplicações, roteirizado, generativo, competição, Luka, Replika, Eluether.ai, Stability AI, Jasper AI, OpenAI.

Fonte: HBR

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *